Os Vingadores (The Avengers)

Bom, para começar esse post é importante que eu deixe claro algumas coisas antes. Não sou fã assíduo de quadrinhos, não coleciono nada da Marvel porem sempre gostei dos desenhos animados e filmes baseados nessas obras, dentre esses filmes assisti alguns dos predecessores de Os Vingadores, dentre eles, não gostei dos filmes do Hulk, não gostei do Thor, e os do Iron Man nem sequer assisti, porem gostei muito do filme do Capitão América, assisti no cinema ano passado e foi muito bom.

E foi justamente por ter gostado muito de Capitão América que resolve assistir Os Vingadores.

Gostei muito! o filme trás alguns dos heróis mais populares da Marvel: Iron Man, Capitão América, Hulk, Thor e outros nem tanto assim como O Gavião Arqueiro e a Viúva Negra (digo nem tão populares assim porque eu nunca tinha ouvido falar desses heróis e provavelmente a maior parte da galera que está assistindo o filme também não).

Por se tratar de um filme com tantos heróis assim para trabalhar, acho que é muito difícil construir um enredo convincente, porem isso foi feito de forma primorosa.O filme se desenvolve de forma bem natural, não achei a história forçada em nenhum momento, vamos a história: basicamente, Loki o irmão de Thor está de volta a terra com o objetivo de roubar o Cubo Cósmico, ele invade as instalações da S.H.I.E.L.D e rouba esse poderoso artefato.

Com seu poder Loki pretende liderar uma invasão e posterior domínio da terra, e para tentar frustar os seus planos Nick Fury, convoca Os Vingadores a fim de localizarem o Cubo Cósmico e derrotar Loki.

Mas não será assim tão fácil, principalmente por causa do relacionamento conturbado entre eles, que simplesmente não se entendem o que gera um racha no grupo que pode por tudo a perder, mas eles são heróis não é? E claro que vão conseguir ajustar as suas diferenças e trabalhar em equipe para concluir sua missão.

O filme é ação do inicio ao fim, eu não conseguia parar de olhar para tela um minuto sequer, pois poderia perder uma cena magnifica a qualquer momento, embora eu não conheça a fundo as personalidades desses heróis por não ler os quadrinhos, acho que o filme trabalhou a personalidade de cada um muito bem e deixou bem claro que cada um deles individualmente apesar de muito poderosos tem suas fraquezas, porem quando trabalham em equipe em prol de um mesmo objetivo são praticamente invencíveis.

A galera que estava no cinema ficava empolgada em cada nova cena de ação e além disso as cenas de dialogo principalmente as que Tony Stark estava presente sempre tinham alguma sátira bem colocada que levava a plateia aos risos.

As cenas de ação principalmente da metade para o final do filme são fantásticas! O filme consegue dar o devido destaque e valoriza cada um dos vingadores, eu mesmo que não conhecia heróis como o Gavião Arqueiro e a Viúva Negra gostei muito dos dois e o Hulk, ahh o Hulk, roubou a cena!

Pra mim o ponto mais forte do filme foi conseguirem trabalhar bem cada um dos Vingadores, aproximando-os do grande público que não conhece a fundo suas origens dos quadrinhos, além é claro de toda a parte técnica de primeira qualidade, efeitos especiais, maquiagem, fotografia, trilha sonora, tudo muito bem feito e bem acabado, vale ressaltar também a boa atuação de todos os protagonistas, dentre as atuações quem mais se destacou na minha opinião foram: Robert Downey Jr. (Tony Stark / Homem de Ferro), Jeremy Renner (Clint Barton / Gavião Arqueiro) e Chris Evans (Steve Rogers / Capitão América), todos com uma atuação digna de Oscar. Vou esperar ansiosamente pela continuação e estou até pensando em comprar os quadrinhos dessa “saga” pois deve ser muito interessante.

Ahh, tem uma cena em especial que a platéia do cinema onde assisti levantou e começou a aplaudir! Eu nunca tinha visto isso acontecer no cinema, foi magnifico! Na minha opinião a melhor cena do filme, é claro que não vou contar aqui, mas quem for assistir provavelmente vai sacar de qual cena estou falando.

Recomendo muito, Assistam! 

Accel World

Nessa atual temporada de animes eu realmente não corri atras de informações relevantes sobre as séries que estavam estreando, por falta de tempo ou até por desinteresse mesmo, então não sabia muito o que esperar e simplesmente fui baixando os que me pareciam mais interessantes, mas sem muita expectativa, assisti pelo menos o primeiro epi de vários e os que gostei continuei baixando.

Accel World é um deles, é um anime baseado numa light novel escrita por Reki Kawahara que posteriormente foi adaptada para duas séries em mangá e agora finalmente para anime, com previsão de 24 episódios.

A história do anime acontece no ano de 2040, um futuro onde as pessoas vivem de forma totalmente integrada com as redes e a internet, e podem se conectar facilmente através de um Neuro Link, dessa forma as pessoas podem acessar mundos virtuais, jogos e todo tipo de aplicação que se possa imaginar a qualquer momento, em qualquer lugar.

Haru um adolescente gordinho e baixinho que por causa de sua aparência é perseguido por outros estudantes que o agridem de forma frequente, ele se sente muito infeliz com tudo isso e para fugir dessa realidade passa a maior parte do tempo dentro de um mundo virtual onde joga Squash sozinho e é o recordista mundial do game.

Certo dia Haru conhece a Kuroyukihime que é a Vice-Presidente do conselho estudantil de sua escola, uma garota muito bonita, popular e inteligente, ou seja, o oposto de nosso jovem protagonista, Kuroyukihime oferece ao Haru o acesso ao Brain Burst, um tipo de programa misterioso que permite que a pessoa “pare o tempo” ao seu redor através da aceleração das ondas cerebrais no mundo real.

Parece ótimo não é? Mais é claro que tem um preço, para que um usuário do Brain Burst possa continuar acelerando ele precisa de mais “pontos” e quando esses pontos acabam ele nunca mais poderá acessar o programa novamente. Para que se consiga mais pontos eles devem entrar em batalhas utilizando seus avatares, oferecidos automaticamente pelo game, dentro do mundo virtual de Accel World apostando os seus pontos contra outros jogadores.

Haru e Kuroyukihime em seus avatares dentro da rede mundial.

Com esse plot inicial, pensei que o anime ia seguir uma linha tipo a de C: The Money of Soul and Possibility Control, mas vi que não vai ser bem isso. Enquanto o foco de C era na politica e artimanhas utilizadas para tirar vantagens de outros apostadores em Accel World, pelo menos nesses primeiros episódios mostra que o foco será nos personagens e seus relacionamentos, o que na minha opinião é muito bom!

Um “Héroi” meio incomum, e uma história bem desenvolvida até agora me deixam muito ansioso para assistir a cada episódio desse anime, e olha que está apenas no 4, vou continuar acompanhando e torcendo para que continue tão bom quanto está agora.

Recomendo! 

Quando, não uma decepção!

Saint Seiya Omega

Bom, desde o primeiro dia que descobri sobre o lançamento de uma nova série animada de Saint Seiya, intitulada: Saint Seiya Omega, vi com maus olhos a notícia, não por se tratar de mais uma animação da franquia, mesmo porque depois do belo trabalho que fizeram em Lost Canvas eu realmente queria ver mais!

O que me fez olhar com desconfiança para a obra foi principalmente o fato de mudarem drasticamente o design e trazer uma proposta de enredo supostamente mais voltada para o público infantil, provavelmente a Toei quer garantir a continuidade da marca nas próximas gerações.

Enfim, a história se passa 25 anos após os acontecimentos da obra original, Saori, agora uma jovem senhora ainda está na terra como a deusa Atena, porem os antigos Cavaleiros de bronze são agora venerados como Cavaleiros lendários, sem que ainda tenha se revelado o destino que eles tiveram.

Um novo inimigo a espreita, se trata de Mars! e uma nova leva de Cavaleiros de Bronze está surgindo para proteger Atena e o mundo dessa nova ameaça.

Minhas Impressões

Eu fico realmente irritado quando coloco muitas expectativas em uma obra, seja ela animação, série, filme, game, etc, e quando sai me deixa decepcionado, vide um dos meus posts sobre o novo OVA de Rurouni Kenshin.

Quando a Omega, eu não tinha boas expectativas mas resolvi assistir pelo menos o primeiro episódio para tirar minhas próprias conclusões e PARA NOSSA ALEGRIA! Foi uma grata surpresa!

O Character Design apesar de bem distante do clássico, ficou muito bonito, só não gostei dos efeitos visuais que usaram no Mars, mas nada que me incomode também, mas o principal não foi isso, já assisti aos três primeiros episódios e apesar do enredo ser bem simples está sendo muito bem desenvolvido, o protagonista Kouga de Pegasus é um bom personagem e alguns outros que já apareceram são ainda melhores.

O desenvolvimento da série me lembra mais o de animes do gênero Slice and Life do que de Shounens e isso para mim é um ponto positivo, pois pode ser que o foco não fique apenas nas batalhas, mas sim nos personagens.

Agora tenho muita esperança de que venha a ser realmente uma boa série e que faça muito sucesso, espero que eles mantenham essa mesma pegada dos primeiros episódios. Vou acompanhar sem fazer comparações com a série clássica, não se trata de ser algo melhor ou pior. É algo novo, que veio para mudar a franquia, talvez para melhor.

Para fechar o post a nova versão de Pegasus Fantasy! Abertura do anime.

Nazo no Kanojo X

A alguns anos, depois de assistir o anime de Kenichi, queria muito acompanhar a continuação e então encontrei um fansub brasileiro que traduzia o mangá, o Brazil Mangá Scanlator, então comecei a ler de onde parou o anime e um tempo depois entrei para a staff do Scanlator, e dai pra frente é uma longa história.

Mas o que importa para esse post é que foi nessa época que comecei a ler um dos outros mangás do scan e um dos meus mangás favoritos: Nazo no Kanojo X, gostei do mangá imediatamente e passei a ler regularmente.

Nazo no Kanojo X conta a história de Tsubaki e Urabe um casal de estudantes que se conhece quando a misteriosa Urabe se transfere para a mesma escola de Tsubaki, Urabe é uma garota reservada que não fala muito com seus colegas de classe, apesar das tentativas frustradas de aproximação das outras estudantes.

Além disso diferente dos demais estudantes que saim para lanchar e conversar durante o intervalo da aula, Urabe simplesmente caia no sono e lá ficava, sozinha.

Até que um dia após o termino da aula Tsubaki volta para pegar algo que havia esquecido e encontra Urabe estirada sobre a mesa dormindo, ele a acorda e quando ela levanta do sono pela primeira vez Tsubaki pôde ver seus belos olhos, sempre encobertos pelas longas franjas, ele fica encantado e após Urabe se levantar e partir, Tsubaki repara que sobre a mesa havia uma pequena “poça” de saliva deixada por Urabe enquanto dormia, então ele resolve experimentar dos fluidos da menina e a partir dai começa uma relação muito incomum com ela.

Não vou contar mais detalhes da estória pois já dei spoiler de mais.

Gostei do primeiro episódio do anime, fiquei surpreso com a forma que eles retrataram o mangá, pois durante todo o episódio se manteve um clima de mistério e suspense, embora eu não imaginasse dessa forma só lendo o mangá gostei dessa abordagem, porem acho que pode se tornar cansativa se for mantida assim durante todos os 13 episódios previstos.

Os personagens foram bem retratados, mas não houve oportunidade para trabalhar outros personagens além de Tsubaki e Urabe nesse primeiro episódio, acredito que faram isso nos próximos.

A unica coisa que não gostei foi da voz da Urabe, eu a imaginava com uma voz mais feminina e inocente, a dubladora que assumiu a personagem (a novata Yoshitani Ayako) tem uma voz que combina mais com personagens adultas, mas isso é opinião pessoal e talvez outros fãs tenham gostado.

Kuroko no Basuke

A muito tempo não assistia um anime de esportes, que me lembre o último que acompanhei foi Prince of Tennis, na época transmitido pela falecida Animax brasileira.

Na verdade eu sempre gostei desse gênero de anime, desde Super Campeões na Manchete e já assisti vários, mas por algum motivo faz tempo que não busco outro pra assistir, a vale ressaltar que nunca assisti um anime sobre basquete, apesar de existirem alguns bem famosos como Slam Dunk por exemplo.

Sobre Kuroko no Basuke, eu já tinha ouvido falar muito bem do mangá, mas mesmo assim não pintou um interesse imediato, só agora que saiu o anime é que voltei a buscar alguma informação sobre a série e resolvi assistir o primeiro episódio, pensando “quem sabe né bom mesmo?”. Gostei do que vi.

Esse primeiro epi foi dedicado quase que inteiramente aos supostos protagonistas principais da série (como já comentei nunca li o mangá, mas acho é isso mesmo), um deles aprendeu a jogar basquete nos EUA, tem grande habilidade a aptidão física para o esporte, além de ser muito convencido. O outro Kuroko, é aparentemente fraco e sem nenhuma habilidade para o esporte, além de ser tão discreto que na maioria das ocasiões passa despercebido pelas pessoas, porem é essa característica aparentemente ruim que faz dele uma habilidoso jogador que usa passes rápidos a fim de criar as melhores jogadas para os demais membros de seu time, esse é o seu diferencial, passar despercebido e surpreender os oponentes.

Gostei muito desse primeiro episódio, é um anime promissor, com bons personagens e uma boa estória, espero que a produção mantenha o nível desse episódio, pretendo acompanhar semanalmente e conforme for o desenvolvimento do anime falarei mais sobre ele aqui.

Recomento a todos, pelo menos baixarem esse primeiro episódio e tirar suas próprias conclusões.

Novo OVA de Rurouni Kenshin (uma GRANDE PORCARIA)

Lá vai eu, todo esperançoso por estar baixando um novo OVA de um dos animes mais adorados das minha infância e adolescência: Rurouni Kenshin (Samurai X).

Pela breve descrição que li antes de baixar entendi que essa “série” de OVAs seria um tipo de Remake da Saga do Shishio, por sinal umas das melhores partes do anime e por isso fiquei muito animado em ver o “retalhador” de volta a ação!

Lembro-me das fatídicas tardes de segunda a sexta, quando ligava a TV no Cartoon Network as 18hs, e  colocava o som (que era ligado no micro system) no máximo, para acompanhar a maravilhasa abertura: Sobakasu (até hoje minha abertura de anime favorita).

Era muito bom, até hoje Samurai X é um dos meus animes favoritos, personagens cativantes, lutas fantásticas, trilha sonora envolvente, animação acima da média… Tinha tudo que um anime precisa para me “ganhar”.

Mas confesso que não consegui ver esse primeiro OVA inteiro, tamanha minha frustração.

É claro que para resumir uma saga em uma “série” de poucos OVAs teriam que fazer algum tipo de resumo e tudo mais, porem o resultado foi pífio, roteiro largado, cortes de cenas totalmente abruptos, mudando para outra cena totalmente irrelevante para o tema anterior, animação de baixíssima qualidade, esperava mais de uma produção que antes de sair em DVD passou nos cinemas, mas o pior foi a total falta de personalidade dos personagens que foram mal caracterizados, mal dublados, mal tudo!

Tudo que vi foi ruim e de péssima qualidade (a unica coisa “bonita” foram os cenários), como falei, não suportei assistir até o final (e olha que baixei essa budega em FULL HD), nota Zero para o OVA e todos os envolvidos nessa produção de M*rda!

Para ter uma ideia do quanto odiei esse troço, a última vez que não consegui assistir alguma produção até o final, foi no filme Dragon Ball Evolution.

Esse ano ainda será lançado o Live Action de Rurouni Kenshin, que está sendo muito aguardado no japão e também por muitos fãs de Battousai, mas depois de “tentar” assistir esse OVA fiquei até desanimado… Mas vamos ver no que vai dar isso ai.

Pra não ficar só na choradeira vamos lembrar os bons momentos com Sobakasu!

Ano Natsu de Matteru

Terminei de assistir ontem Ano Natsu de Matteru, o anime dos mesmos criadores de Toradora era um dos mais badalados da temporada de janeiro e contou com um total de 12 epis.

A história do anime em si é muito louca, tem uns personagens legais e também uma tsundere bizarra! Remon Senpai!

Como um todo gostei do anime, porem eu esperava mais, muito mais. Não foi ruim, foi um anime na média, o que mais me agradou foram as cenas e relacionamento entre os personagens, e o que não gostei foi do protagonista FRACO, Kirishima Kaito, um muleke babaca metido a cineastra. O personagem que mais gostei foi Tetsurou Ishigaki o melhor amigo de Kaito, um kra metido a pegador que na verdade passava por um grande dilema em relação aos sentimentos que sentia pela Kanna.

Se a história do anime tivesse sido focada no Tetsurou acho que o anime ficaria bem melhor (talves seja por que ele tem certa semelhança com o Ryuuji, protagonista de Toradora!).

Das personagens femininas a que mais gostei foi a Mio, que no inicio do anime parecia uma menininha boba e fraca, mas que mostrou grande personalidade e força no decorrer da série.

Além da Mio tem a tabua da Remon que é muito louca e Voyeur ao extremo!

Para quem gosta do gênero slice of life, é um bom anime a acompanhar, vai te trazer bons momentos de drama e um pouco de comédia, além de umas bizarrices alienigenas! MIB Forever!